quinta-feira, setembro 25, 2008

3ª Jornada

Na terceira jornada, os jogos em análise foram:

Sporting - 2 Belenenses - 0 (Elmano Santos)
No minuto 33 o Sporting inaugura o marcador por intermédio de Hélder Postiga. O avançado do Sporting encontrava-se no entanto na posição de fora de jogo na altura da assistência de Yannick Djaló. Erro a favor do Sporting.
Na segunda parte, ao minuto 47, Maykon derruba Postiga no interior da área sendo bem assinala a grande penalidade que Romagnoli tratou de converter estabelecendo o resultado final. No minuto 65, Maykon que já tinha visto um cartão amarelo no lance da grande penalidade, corta um ataque do Sporting com o braço, devendo ter visto o segundo amarelo. Erro da equipa de arbitragem contra o Sporting, que assinalou neste lance um lançamento de linha lateral. 1 erro a favor do Sporting, outro contra, passando o Factor de Colo para 1/2, sem alteração da Colossificação.


Rio Ave - 0 F. C. Porto - 0 (Pedro Proença)

No minuto 41 a bola bate no braço de Sílvio no interior da área do Rio Ave. Aceita-se a decisão do árbitro ao nada assinalar, pelo facto de o defesa do Rio Ave estar de costas no momento do remate e a bola ter ressaltado no chão após o remate falhado de Lisandro. Na segunda parte fica no entanto uma grande penalidade por assinalar contra o Rio Ave por desvio da bola de Gaspar com o braço após ressalto no poste na sequência de um livre apontado por Lucho. 1 erro contra o F. C. Porto, passando o Factor de Colo para 1/4, sendo retirados 2 pontos na Colossificação que passa para -2.


P. Ferreira - 3 Benfica - 4 (Bruno Paixão)
Ao minuto 6, Nuno Gomes inaugura o marcador após assistência de Reyes. No minuto 13, após a marcação de um canto, Ozeia restabelece o empate após remate perto da meia lua que ressalta em Sidnei. No minuto 27, Maxi Pereira entre de forma violenta com os pitões sobre o tornozelo de Leandro Tatu devendo ter visto o cartão vermelho em vez do amarelo. Erro a favor do Benfica. Aos 31 minutos, após cabeceamento de Nuno Gomes, Bruno Conceição defende para a frente e Maxi Pereira ao segundo poste faz o segundo golo do Benfica. No minuto 42, Tiago Valente levanta o braço dentro da área para interceptar o cruzamento de Ruben Amorim, sendo bem assinalada a grande penalidade que Cardozo tratou de converter no terceiro golo do Benfica. No minuto 55, Nuno Gomes pontapeia Filipe Anunciação devendo ver o cartão vemelho directo em vez do amarelo. Erro a favor do Benfica. No minuto 62 o Paços de Ferreira aproveita um falhanço de Quim para reduzir a diferença no marcador por intermédio de Rui Miguel. O lance surge no entanto de uma falta assinalada ao contrário, uma vez que Sidnei é empurrado por Edson, caíndo depois sobre a bola, devendo ter sido assinalada falta a favor do Benfica. Erro contra o Benfica. No minuto 75 Jorge Ribeiro volta a aumentar a diferença no marcador com um forte remate de fora da área com o pé esquerdo. No minuto 85, na sequência de um pontapé de canto a bola sobra para William que empurra para a baliza de Quim estabelecendo o resultado final. 2 erros a favor do Benfica, 1 erro contra, passando o Factor de Colo para 4/3, sem alteração na Colossificação.

Etiquetas:

23 Apitos:

Blogger André Leal disse...

Concordo plenamente. Só não vi o lance do eventual segundo amarelo ao jogador do Belém, mas confio na análise. Nas regras mão na bola é sempre amarelo, mas os árbitros preferem ignorá-las a maior parte das vezes, à semelhança de muitas outras, como a de ser vermelho por entradas por trás ou amarelo por pedir amarelo para o adversário.

2:50 da manhã, setembro 25, 2008  
Blogger jbernardo disse...

E a entrada do Postiga que deveria ser para vermelho directo e não para amarelo, ou a entrada pouco depois sobre o guarda-redes do Belenenses que o árbitro transformou em canto em vez de dar o segundo amarelo?
E no jogo Paços Benfica, que tal falar da entrada do Filipe Anunciação sobre o Reyes, que também deveria ter sido vermelho e não amarelo? E o pontapé nas costas do Nuno Gomes, não deveria ser também o segundo amarelo?
E, já agora, as várias entradas violentas de Rui Miguel? Lembro duas, uma sobre o Carlos Martins, e outra, um pontapé na cabeça ao Aymar, que nem falta foi marcada em nenhuma das duas, e que no mínimo seriam ambas para amarelo.
Vá, diz lá que não viste, ou que não são nada ao pé da rasteira do Nuno Gomes...

7:16 da manhã, setembro 25, 2008  
Blogger Offshore disse...

não contabilizar o penalty do postiga sobre o meyong é que não lembra ao diabo

10:40 da manhã, setembro 25, 2008  
Blogger carneiro disse...

Amigo, quando um defesa na área atira o corpo para o chão para interceptar a bola que vai na direcção da baliza, se corta a bola com o braço é penalty. Esteja de frente ou de costas.

Coisa diferente é o defesa estar deitado ou de pé, desde que imobilizado, e ser a bola que lhe vai bater no braço. Agora se o defesa está a usar o corpo para proteger a baliza, se vai ao braço é penalty.

Aliás, como foi claro nas duas situações: aquela em favor do Benfica (bem marcado) e a outra a favor do Porto que não foi marcada.

Aliás, depois de a sua análise à "agressão" do Cebola ao Gomes, deu logo para perceber o que a casa gasta...

Volto a dizer-lhe: não tem mal nenhum que se façam análises de lances puxando a brasa á sardinha do respectivo clube. Agora vir afirmar falsas isenções, obviamente que não merece crédito.

11:15 da manhã, setembro 25, 2008  
Blogger O Cobra disse...

jbs, para alem de benfiquista o teu QI não deve ser muito alto certamente, ou então queres-te fazer passar por atrasadito...

Concordo com a maioria das deliberações, excepto:

Bila do Conde - Campeões

O lance ao min 41, a ser julgado com coerencia, deveria ter sido assinalado penalty, à semelhança do lance do penalty dos lampiões
Sendo assim são dois penalty´s por marcar...

Moveis de Cozinha - Lampiões

Acho que o Sidney não sofre falta nenhuma, ninguem fala nisso e um gajo com o cabedal dele deve poder aguentar uma pressãozita física. E se vamos a considerar erros, lances que originam golos posteriormente, tamos feitos ao bife...

Saudações campeãs!!

4:26 da tarde, setembro 25, 2008  
Anonymous Anónimo disse...

ONDE ESTÁ A FALTA SOBRE O CEBOLA À ENTRADA DA ÁREA, QUE LHE DEU UM CARTÃO AMARELO?
E O PÉ EM RISTE ( OU FALTA?) DE RUBEN AMORIM DENTRO DA ÁREA?
A ARBITRAGEM DE BRUNO PAIXÃO FOI SIMPLESMENTE VERGONHOSA!
TAMBÉM GOSTAVA DE PERCEBER OS CRITÉRIOS DAS BOLAS NA MÃO. PARECE MAIS UM CRITÉRIO SEGUNDO A COR DA CAMISOLA.
ACL

5:26 da tarde, setembro 25, 2008  
Blogger André Leal disse...

Quartoárbitro:

Parece-me que vais ter que explicar os critérios do blog novamente. Vais é perder comentários pois o pessoal prefere falar sem saber o que está a dizer.

10:51 da tarde, setembro 25, 2008  
Blogger quartoarbitro disse...

Alterei a imagem do fora de jogo do Postiga, uma vez que a que tinha não se viam todos os jogadores, só as sombras.

Caro jbs, os posts que coloco para discussão quando indico os jogos da jornada seguinte são o local ideal para descrever todos os lances em que se acha que o árbitro errou, de modo a reduzir a probabilidade de me escapar algum. Quanto aos lances que descreve:
- a entrada do Postiga é para amarelo, foi uma entrada lateral, dura, nada mais
- a entrada do Postiga sobre o guarda-redes é simplesmente pé em riste, deveria ser marcado livre indirecto, sem motivos para amarelo.
- A entrada do Filipe Anunciação sobre o Reyes apesar de parecida com a do Maxi Pereira, parece-me que se justifica o amarelo, por dois motivos: a intensidade e a intencionalidade. Enquanto que Maxi Pereira salta em direção ao pé esquerdo do jogador do Paços de Ferreira, quando a bola estava junto ao pé direito, Filipe Anunciação dirige-se para a bola só que Reyes, mais rápido, retira-a do seu alcance. É no entanto claramente falta e jogo perigoso, mas quanto a mim o vermelho seria exagerado neste lance.
- não me pareceu que o conjunto das supostas faltas do Rui Miguel fossem motivo para acumulação de amarelos


Ofshore, esse lance do Postiga sobre o Meyong de uma jornada já passada está devidamente explicado nos comentários a esse post

Carneiro, concordo que quando um jogador se atira para a frente da bola e corta intencionalmente a trajectória com o braço seja assinalada grande penalidade. Não concordo é que desde que o jogador esteja imobilizado já não seja penalty. Depende da intencionalidade: se um jogador está parado de frente para o atacante de braços abertos e não os mexe, se a bola bater nos braços quando se dirigia para a baliza também é penalty. neste caso do jogo do Porto parece-me no entanto que a intencionalidade não é obvia, pelo facto de o jogador estar de costas e principalmente pelo facto de a bola não vir directamente do pé de Lisandro mas ter ressaltado no chão devido ao falhanço no remate. Não me chocava no entanto se o árbitro tivesse considerado grande penalidade, mas quanto a mim ajuizou bem. Quanto a "vir afirmar falsas isensões", não me lembro de o ter feito, a única coisa que me lembro foi de dizer no fecho da época 2005/06 que o facto de me terem chamado Portista, Sportinguista e Benfiquista ao longo da época me deu algumas garantias que pelo menos se não fui isento, o mal foi distribuido pelas aldeias. Mas já na altura desafiei a fazerem melhor e passados dois anos continuo à espera.

cobra, a justificação do lance aos 41 minutos está no parágrafo anterior. quanto à falta sobre o Sidnei, existe. Agora se estas "faltinhas" deveriam ser marcadas ou não, eu também prefiro o futebol inglês ... relativamente a considerar erros lances que originam golos posteriormente, só contam os casos de livres ou cantos que dão golo, ou por exemplo faltas não assinaladas que dão origem a um contra-ataque e golo na jogada imediatamente a seguir. Se assim não fosse, seriam muitos mais a criticar o blogue por deixar passar esses erros.

anónimo, falta sobre o cebola à entrada da área que lhe deu um cartão amarelo? Não sei a que se está a referir, o Rodriguez levou um amarelo por uma falta que não fez sobre o André Vilas Boas no meio campo. O pé em riste de Ruben Amorim seria para livre indirecto, que de acordo com os critérios do blogue, tal como faltas perto da grande área, apesar de perigosas, não são contabilizados como erros grosseiros. os critérios das bolas na mão é que não são falta, das mãos na bola são.

11:34 da tarde, setembro 25, 2008  
Anonymous Anónimo disse...

Peço desculpa.
A falta que referi à entrada da área, que valeu um cartão amarelo ao atacante, não foi sobre Rodriguez, mas sobre o Hulck (como era, aliás, de supor, tantas foram as repetições televisivas!)
Fico à espera da correcção (2/2008)
Se a suposta falta que precede o golo do Paços é ontada como erro e já não um livre indirecto dentro da grande área, ou cheira a esturro ou podes mandar os critérios às malvas!!
ACL

9:34 da manhã, setembro 26, 2008  
Blogger carneiro disse...

Amigo, na questão do penalty já se evoluiu alguma coisa. Tem razão na parte do "imobilizado com os braços abertos". Essa era tão extrema, que nem a considerei. Quanto ao mais, a prática de outras modalidades ajuda muito a perceber certas mecânicas. Por exemplo no basquete percebemos muito bem o que é chegar primeiro a uma posição e avaliar quem provoca o contacto. E no andebol também se percebe o que é falta atacante e a "borboleta" do guarda-redes. E o que os nosso defesas fazem dentro da área é movimentos de borboleta, atirando-se para a frente da bola, usando o corpo, todo e por atacado, como escudo da baliza.

A questão da isenção tem a ver com a "agressão" do cebola. Desculpe lá, mas um encosto de botas, no movimento da passada, não é um pontapé.É uma atitude incorrecta, grosseira, provocatória, punivel com amarelo. "Aquilo" não pode nunca ser considerado uma agressão. Se não, qualquer encosto de testa, passa a ser uma agressão, qualquer empurrão de ombro ou de cotovelo (não estou a falar de cotoveladas, mas apenas do encosto de cotovelo com empurrão seguinte).
Para haver agressão, tem que haver uma pancada, um movimento contundente dirigido exclusivamente a atingir o adersário, desde que, esse movimento ou gesto seja idóneo para causar uma lesão. Não significa que a lesão tenha que existir. Significa apenas que o acto seja idóneo a provocar uma lesão.
Vistas assim as coisas, nunca poderia aquela situação do Cebola ser considerada uma agressão. É que o gesto - deselegante e censurável, já o disse - não é idoneo a causar qualquer lesão. Aquilo só partiria o salto alto do Nuno...

Daí que, perante aquilo que o amigo afirmou no sentido da agressão, me tenha levado a por em causa a sua isenção. O que mantenho, pois só os muitos "doentes" pela Luz continuam a achar aquilo agressão. E olhe que a maior parte dos benfiquistas de que me honro ser amigo, também sorriem com o desespero da direcção do Benfica de querer fazer daquilo um caso.

Um abraço e não leve a mal. Ao fim e ao resto isto é só futebol. Há tanta coisa tão importante na vida de nós todos...

11:23 da manhã, setembro 26, 2008  
Blogger André Leal disse...

Carneiro:

E um estalo é agressão? E o que fez o Jorge Andrade ao Deco na meia final da Liga dos Campeões?

1:40 da tarde, setembro 26, 2008  
Blogger quartoarbitro disse...

caro carneiro, esteja descansado que não levo a mal, qualquer discussão elevada e sem insultos é sempre bem vinda. Não me parece é que tenha sido um "encosto de botas, no movimento da passada", por essas palavras dá quase a entender que o contacto foi fortuíto sem intensão do Rodriguez. Naturalmente aquele pontapé não iria provocar à partida nenhuma lesão no Nuno Gomes, nem tem que causar para ser vermelho. Pode até haver expulsão sem contacto, até as tentativas de agressão são punidas com cartão vermelho. Mas mais uma vez, está a acusar-me de não ser isento, puxando a brasa para o Benfica, já o jbs acha precisamente o contrário, por isso, vou continuando com a minha consciência tranquila, tendo a noção que muitos lances podem ter mais do que uma interpretação, mas a ideia é manter o mesmo critério ao longo do campeonato.

12:38 da manhã, setembro 27, 2008  
Blogger jbernardo disse...

Ainda não tinhas vindo com a história da intensidade e da intencionalidade esta época. Sinceramente, quando entras nessas desculpas esfarrapadas para não contabilizares faltas ou cartões que ficaram por ser mostrados aos adversários do SLB, perdes completamente a razão. Então não houve intencionalidade na entrada violenta do Filipe Anunciação porque achas que ele ia jogar a bola? E quando pontapeteia o Nuno Gomes nas costas logo de seguida?

Quanto ao IQ de alguns andrades, nem merece resposta.

10:39 da tarde, setembro 28, 2008  
Blogger carneiro disse...

Quarto arbitro, não me misture, nem me compare, por favor. Esse jsb, até pela linguagem no blog dele, dá para perceber que é coisa que se deve evitar no convívio da espécie humana. O gajo em 3 palavras mete quatro insultos e dá sete erros de ortografia e de sintaxe. Anónimos. Porque, cobardola, só é valente a insultar a coberto do anonimato. Por isso, por favor, não me compare com esse gajo. A menos que você também não consiga distinguir entre o que eu escrevo e o que o gajo urra.

1. A agressão exige um comportamento, uma atitude idónea a causar mal á integridade física do adversário (ou arbitro, ou até Colega). Não pode ser apenas um gesto qualquer. Tem de ser um gesto que pelas regras de experiencia comum cause um dano físico. E a tentativa - que você foi buscar - incorre nas mesmas regras. Ninguém pode ser condenado por tentativa de homicídio, se a pistola é de alarme. Ninguém pode ser condenado por uma agressão que atingiu a sola do calcanhar no culminar de um movimento de passada. É óbvio que foi intencional o encosto das botas. è obvio que foi um gesto para provocar. Mas aquilo nunca produziria uma lesão. Por isso não é agressão. É um "encosto" de botas da mesma forma que o encosto de cabeças não são cabeçadas. Ou o encosto do cotovelo e posterior empurrão com o braço não é cotovelada.

2. E na questão dos penalties que você já arrumou, acrescento que existe uma coisa que é o dolo eventual. Que é quanto fazem os defesas quando se atiram para a frente da bola para proteger a baliza. Exemplo: um fulano quer destruir um carro, mas não quer fazer mal ao dono. Decide incendiar o carro sem confirmar se está lá alguém a dormir dentro. Pensa que possa estar, mas mesmo assim incendeia o carro. Afinal o dono estava lá dentro e morre queimado. O fulano cometeu na mesma um homicídio, apesar de a intenção dele não ser a de matar, mas apenas a de queimar o carro. Quando um defesa se atira para a frente da bola para proteger a baliza, ele não tem intenção de desviar a bola com o braço, mas sabe que isso pode acontecer e, mesmo assim, atira-se para a frente da bola. Existe intenção eventual. É penalty.

3. Quanto à questão do Deco e do Jorge Andrade, obviamente que a questão não se coloca ao nível da mecanica da acção, pois o bico da bota encostado ás costas (salvo erro, foi assim que aconteceu) é iponeo para causar uma lesão. Pequena, eventualmente, mas uma lesão. Aqui a questão prende-se com a intencionalidade. Nós sabemos que eles eram amigos e que aquilo era a brincar. Era uma brinmcadeira mais viril como acontece por vezes nos treinos. Mas o arbitro não sabia. Por isso, o Jorge lixou-se. Mas um arbitro português que conhecesse a situação poderia ter-se rido e percebido que aquilo era uma brincadeira. Isso não me escandalizava.

4. Como saberá, amigo, a teoria da acção já serviu para muitas teses de doutoramento - que não é o meu caso. É uma matéria vastíssima e complicadíssima. Todos nós que fizemos desporto temos uma sensibilidade especial para interpretar os actos, na base do empirismo. Mas há sempre mais saber, para lá do nosso. E uma questão é abertura de espirito e argúcia para discutir estas coisas. Coisa diferente é comparar-me a atrasaditos mentais que têm como único objectivo de vida ofender, insultar, urrar e, muitas vezes, zurrar. Por favor, não me misture.

Mas acredite em duas coisas: aquilo foi mesmo penalty e o cebola não cometeu agressão alguma.

3:02 da tarde, setembro 29, 2008  
Blogger André Leal disse...

Xiclista Carneiro:

Cada um acredita no que quer. Mas os seus exemplos são tão fracos e tão desadequados que nem o palavreado o salva... O Cebola cometeu agressão, tal como hoje no aeroporto. Desde que foi para o clube corrupto mostrou a sua natureza...

Apesar de estar visto que a sua opinião conta pouco, ainda gostava de saber se acha que um estalo é ou não agressão, segundo os seus (e só seus) parâmetros. Somente para me rir, claro.

E já agora deixo-lhe uma pergunta: Sabe porque é que o Porto não tem equipa de ciclismo, não sabe? Pois, não há árbitros...

9:31 da tarde, setembro 29, 2008  
Blogger carneiro disse...

André Leal Anónimo, tratei-te mal ?

Não consegues falar de forma civilizada, sem arrogancia e má criação ? Discutir os assuntos, pelos assuntos, sem agredir?

Não consegues, está visto. Fim da conversa, pá. Quem és tu para me fazeres perguntas ? Eu até ganho a vida a vender respostas. E agora ia dar respostas gratuitas a um rapazeco mal-criado...

Realmente, com um certo tipo de benfiquismo arruaceiro e marginal é impossível falar. Vai lá para as claques, que lá é que esse tipo de discurso se enquadra. És só mais um anónimo a distribuir maus modos e má criação pela internet.

è por isso que blogues, em principio interessantes, como o presente, fica prejudicado, porque as pessoas que gostam de discutir estes assuntos, acabam por se ir embora, pois não estão para aturar certos tipos de linguagem, arruaças gratuitas e cobardia anónima.

Os estádios cada vez estão mais entregues aos animais das claques - de todos os clubes, esta não é só para o benfica - e as pessoas normais deixam de lá ir. Com a blogosfera está-se a passar outro tanto.

sabes lá o que é o dolo eventual para teres percebido patavina do que eu escrevi...

Malcriado e ignorante. E agressivo para disfarçar a burrice. Diz-me lá, conseguiste acabar o 9º ano ? ou andas nas novas oportunidades ?...

Sorry, quarto arbitro. Quando tiver um blogue onde os assuntos possam ser discutidos, mesmo com entusiasmo, mas nos limites da inteligibilidade, dê um toque, que a ideia é interessante.

Agora ter que levar com estes idiotas anónimos, não dá mesmo.

11:52 da manhã, setembro 30, 2008  
Blogger André Leal disse...

Aventar que és licenciado e doutorado não é arrogância nenhuma, deixa lá.
Estavas com medo que não percebêssemos pelo primeiro comentário que tinhas estudos (que não te deram educação, porém), e toca a pôr, a martelo, essas informações que julgas que te tornam em alguém melhor que os outros. Mas não, continuas um carneirito amigo dos corruptos.

Se admito que até poderia ter evitado, na altura, algumas das palavras do meu último comentário, agora, depois da tua resposta, ficam lá muito bem. És um pedante sem classe.

2:13 da tarde, setembro 30, 2008  
Blogger carneiro disse...

E o ciclo preparatório, ao menos conseguiste acabar ? agora com esta ministra que facilita os exames ?

Que respeito é que queres merecer, escondido na cobardia do anonimato ?

2:28 da tarde, setembro 30, 2008  
Blogger jbernardo disse...

Lol - este doutor da mula russa está a precisar de tratamento psiquiátrico urgente. Além de descortinar erros "de ortografia e de sintaxe" (gostava de saber onde) em tudo o que sejam textos com os quais não concorda, age como um autêntico valentão. Aquele tipo com dois metros de altura, praticante de body building, que está habituado a que ninguém o contrarie porque senão parte logo para a violência. Percebo que nesse caso o frustre imenso não nos conseguir agredir até ao silêncio. Mas seria preferível que em vez de ameaçar todos aqueles com quem não concorda, que se deixasse destas coisas da internet que pelos vistos lhe fazem tanto mal, e compre um espelho. Assim pelo menos sempre acerta quando teimar que é quem está à sua frente que está a ameaçar tudo e todos.

Muito sinceramente, cobarde é quem o fez e depois não lhe deu educação, levando a que chegue a essa idade a saber apenas ameaçar tudo o que não entende ou com o que não concorda.

2:59 da tarde, setembro 30, 2008  
Blogger André Leal disse...

Infelizmente, em Portugal, há mais do tipo carneirinho do que do tipo leal, pelo que não sei quem está mais anónimo.

3:07 da tarde, setembro 30, 2008  
Blogger carneiro disse...

logo vi que aquela do "dolo eventual" era areia a mais...ehehe... então já perderam a vontade de rir?

agora já vos deu um ataque de boa educação e de elevação de linguagem ? Ao menos isso. Pelo menos consegui que alterassem o tipo de linguagem. Apesar de estarem armados em kalimeros como se fossem vocês os dois as vítimas da agressividade linguística e da má criação.

tecnicamente vocês os dois só foram "vítimas" duma coisa: Foram postos no sítio, como qualquer pessoas que lê estes coments conclui nas calmas. E isso está escrito. Não pode ser alterado.

Postas assim as coisas, ou seja, no seu devido lugar, arranjem um perfil que não seja anónimo. O anonimato revela insegurança e adolescencia. Não tenham medo de interagir com os outros usando o nome e assumindo a personalidade em toda a sua dimensão.

Vão ver que usando o vosso nome já sentirão necessidade de ser mais cordatos e contidos naquilo que dizem e escrevem. E serão mais respeitados nas respostas por isso. O anonimato é um convite para a irresponsabilidade na linguagem e nas atitudes. Por isso deve ser evitado.

E não tenhas mais medo JSB. Não houve aqui ofensa de sangue. Falar olhos-nos-olhos é o que fazem as pessoas crescidas para esclarecerem problemas. Não tem que significar necessariamente "porrada" como estás com medo que seja. Se bem que perceba que no teu esquema mental fosse essa a imagem que te tivesse surgido. Não deves conhecer outro tipo de relações humanas nem outra forma de resolver conflitos. Deixa estar, há muitos jovens infelizmente assim.... Mas não tenhas mais medo que não é nada disso que está em causa. Nunca esteve. Mas devias disfarçar melhor os teus medos. É que o cheiro a fralda mijada é insuportável - ehehehe

Agora, insultos a coberto do anonimato, é que não.

capisce? Vá, vão lá bater palmas ao benfica, que isso não tem mal, em vez de andarem a insultar quem não vos fez mal algum.

E façam desporto. Andem de bicicleta que faz muito bem ao coração.

3:42 da tarde, setembro 30, 2008  
Blogger jbernardo disse...

Se achas que qualquer ser humano racional vai pensar que fomos "postos no sítio", então já estás muito para lá da fase de tratamento sem medicação. E com essa frase deixas bem claro a tua posição - insulto e ameaça, de mais forte para aqueles que pensa serem mais fracos. "Postos no sítio" é frase de professor daqueles que se acham "os maiores" mas que toda a classe goza mal viram as costas. É frase do fortalhaças lá da terra que se acha o melhor apenas porque vence todas as discussões ao murro - mas que todos sabem ser um pobre coitado com profundas limitações intelectuais.

E, já agora, tentares disfarçar o pânico que te causa não poderes ameaçar fisicamente o teu adversário com esses ataques ao anonimato, é comovente, mas já é tarde. É fácil ver onde começou toda esta conversa, todo o incómodo que te causa não poderes "usar o físico" para calar aqueles com quem não concordas. Podes vir com todas as desculpas que quiseres. Mas está escrito. Qualquer pessoa pode ver como começaste toda esta discussão, como ameaçaste e tentaste insultar (de "doutor" para "analfabeto") aqueles com quem não concordas. Tiveste azar. Saíram-te dois, qualquer deles com capacidade argumentativa superior à tua. É chato. Mesmo para um puto recém formado como deves ser (se de facto és doutorado), deve ser muito chato descobrirem-te a careca. Mas deixa lá. Pode ser que nos encontremos a passear de bicicleta um dia. Pode ser que sim. Mas não creio. É que eu gosto de escolher os locais onde passeio. E tento evitar certas vizinhanças.

9:35 da tarde, setembro 30, 2008  
Blogger carneiro disse...

"Pode ser que nos encontremos a passear de bicicleta um dia."

Não sabes...eheheh

2:06 da tarde, outubro 01, 2008  

Publicar um comentário

<< Home